segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Óleos Essenciais e seu uso

Os óleos essenciais são a forma de energia vegetal mais concentrada que existe e são comumente usados em tratamentos de beleza, estética saúde e bem estar. Podemos extraí-los de folhas, flores, caules, sementes, raízes ou cascas. Para obter um litro de óleo essencial são necessárias centenas de quilos de plantas. Milhares de plantas possuem óleos essenciais. São plantas de cheiro forte e característico, como alho, cebola, orégano, manjericão, eucalipto, citronela, lavanda, menta, entre outras. Estima-se  hoje a existência de 30.000 espécies vegetais que produzem óleos essenciais, sendo que somente 10% destas plantas são do conhecimento humano. Os óleos essenciais possuem princípios a vos que são estudados há anos pela farmacognosia e aplicados em centenas de finalidades  farmacêuticas, , terapêuticas e cosméticas.Os óleos essenciais possuem características similares ao álcool e ao éter. São voláteis, não possuem viscosidade de óleo e não deslizam quando aplicados diretamente sobre a pele. Para aplicação são indicados sempre diluídos em óleos vegetais ou bases neutras cosméticas.

ÓLEOS ESSENCIAIS DE  A a Z

 ÓLEO ESSENCIAL DE BERGAMOTA WNF (anti depressivo) Citrus auranilum L. ssp bergamia
O óleo de Bergamota pode ser considerado um dos mais nobres entre os óleos cítricos. É alegre, festivo e anti  depressivo e extasiante. Afasta a tristeza e a desmotivação Possui aroma cítrico amargo com leve toque seco, lembrando o tabaco cru. Em massagens e tratamentos de pele age como desintoxicante e tônico. Estimula  e fortalece tecidos desvitalizados da pele. É agente anti oleosidade e anti acne e estimulante  da pigmentação. Na aromaterapia seu uso é recomendado no combate aos estados de depressão, inquietude, agitação e insônia.
Contraindicação: não utilizar ao sol, podendo provocar queimaduras graves. Gestantes e crianças utilizar  somente com orientação médica.

ÓLEO ESSENCIAL DE CAMOMILA ROMANA WNF (sistema nervoso e digestivo) Anthemis nobilis O óleo essencial de Camomila Romana está relacionado ao sistema nervoso. Pode ser utilizado  contra tensões, espasmos, cólicas, estresse e sintomas ligados ao nervosismo através de massagens, banhos, fricções e pulverizações. É um óleo caro, portanto deve ser bem estudado antes da aquisição e da aplicação, sempre respeitando as indicações e dosagens. Fortalece os sistemas digestivo, intestinal, facilitando a eliminação de toxinas ou parasitas. Possui propriedades analgésicas, carminativas  e anti  térmicas.
 Contraindicação: nenhuma conhecida dentro das dosagens descritas neste manual. Gestantes e crianças utilizar  somente com orientação médica.

ÓLEO ESSENCIAL DE CANELA CÁSSIA WNF (sistema urinário) Cynammomum cassia
O óleo de Canela Cássia serve para o fortalecimento do sistema imunológico. É bactericida de amplo espectro, também fungicida e parasiticida. Tônico e estimulante  sexual (afrodisíaco), age bem contra a astenia, sonolência e depressão. Em banhos de assento complementa tratamentos de infecções urinárias e vaginais. No difusor de aroma age como anti séptico aéreo energizante e purifi ca o ambiente.
Contraindicação: não utilizar  na pele de crianças menores de 5 anos. É dermocáustico. Não pode ser usado por gestantes.
ÓLEO ESSENCIAL DE CEDRO VIRGÍNIA WNF (descongestionante linfático, venoso) Juniperus virginiana
Este óleo é um excelente descongestionante venoso e complementar nos tratamentos de hemorroidas internas e externas através de banhos de assento. Em massagens, utilizar com o Óleo Vegetal de Gérmen de Trigo WNF que, pela grande quantidade  de vitamina E, fortalece os vasos, protegendo e evitando varizes. O aroma lenhoso do Cedro evoca sensações sólidas de conforto e abrigo, de calor e consistência, lembrando a presença de um templo oriental. É um dos óleos preferidos para meditação.
 Contraindicação: nenhuma conhecida dentro das finalidades  e dosagens descritas neste manual. Gestantes e crianças utilizar  somente com orientação médica.

ÓLEO ESSENCIAL DE CIPRESTE (descongestionante linfático) Cupressus sempervirens
O óleo de Cipreste é considerado um grande descongestionante linfático, venoso e prostático. Indicado para o tratamento de edemas nos membros inferiores, em escalda-pés mornos e no tratamento de hemorroidas internas e externas, auxiliando em banhos de assento. É um óleo tônico, neurotônico, enterotônico, anti -infeccioso, anti bacteriano e anti  microbiano. Possui ação descongestionante e auxilia na purificação do organismo em relação aos líquidos circulantes, como linfa e sangue venoso.
 Contraindicação: casos de cistos ou nódulos. Não utilizar  em bebês, crianças e gestantes.

ÓLEO ESSENCIAL DE EUCALIPTO CITRIODORA WNF (calmante, anti reumático) Eucalyptus citriodora
Diferente do Eucalyptus globulus, que é um óleo com propriedades e benefícios ao sistema respiratório, o Citriodora é um óleo essencial ligado aos problemas reumáticos  e artrites. É anti inflamatório, anti-infeccioso, calmante e sedatico Em saunas, atua como hipotensivo, abaixando a pressão. Na França é utilizado  no auxílio do tratamento da pericardite e da coronarite. Nos banhos de assento auxilia em alguns tratamentos de vaginites e cistites.
Contraindicação: nenhuma conhecida dentro das finalidades e dosagens descritas neste manual. Gestantes e crianças utilizar  somente com orientação médica.

ÓLEO ESSENCIAL DE ERVA-DOCE/FUNCHO (regulador, digestivo) Foeniculum vulgare
Este é um valioso aliado como regulador e facilitador da produção de hormônios femininos (Estrogen-like), sendo emenagogo e galactogênico (estimula a produção do leite materno). É ligeiramente estimulante  de secreções digestivas, alivia as dores de maneira significati- vamente rápida. Auxilia nas cólicas menstruais e estomacais. Indicado para as fases de pré-menopausa e menopausa. Seu uso pode ser ú l para regular o ciclo menstrual. Em massagens e banhos, destrava as costas e dores lombares.
Contraindicação: nenhuma conhecida dentro das finalidade e dosagens descritas neste manual. Gestantes e crianças utilizar somente com orientação médica. Não utilizar em pessoas que sofrem de epilepsia.

ÓLEO ESSENCIAL DE GENGIBRE WNF (digestivo) Zingiber offi cinalis
O óleo de Gengibre tem um odor característico, seco e aromático. É considerado tônico digesti- vo, estomáquico e carminativo, pode ser utilizado como afrodisíaco em alguns casos. Excelente para o sistema circulatório, os músculos e as articulações (artrites, reumatismo e má circulação sanguínea). Na medicina ayurvédica é aplicado para ativar o agni, que numa tradução para o português significa “o fogo digestivo”. No ambiente, combina perfeitamente com óleos cítricos, criando uma atmosfera agradável para a ingestão de alimentos.
Contraindicação: nenhuma conhecida dentro da finalidade e dosagens descritas neste manual. Não pode ser usado por crianças. Gestantes não devem utilizar nos três primeiros meses de gestação, após este período, somente com orientação médica.

ÓLEO ESSENCIAL DE LAVANDA BRASIL WNF (tranquilizante) Lavandula dentata
Esta é uma espécie de Lavanda diferente da tradicional utilizada na aromaterapia.
A Lavandula dentata é objeto de trabalho pioneiro da World´s Natural Fragrances no estudo dos óleos essenciais. Moléculas interessantes foram identificadas neste óleo, que pode ser aplicado em diversos tratamentos respiratórios, descongestionantes e expectorantes. Também é usado no tratamento de 28 queimaduras diversas já que auxilia na regeneração celular do tecido cutâneo. Seu aroma é mais fresco e lenhoso do que a Lavanda comum. É antisséptico, bactericida e equilibrante. Relaxa a musculatura e oxigena os tecidos. Excelente para uso em massagens, banhos, difusão aérea e escalda-pés.
Contraindicação: nenhuma conhecida dentro das finalidades e dosagens descritas neste manual. Gestantes e crianças utilizar somente com orientação médica.

ÓLEO ESSENCIAL DE LIMÃO SICILIANO WNF (depurativo) Citrus limonum
O óleo essencial de Limão é anti-infeccioso, anti bacteriano, antisséptico, adstringente, carminativo, depurativo, hipotensivo e anti viral. Sua função no organismo é similar à da vitamina P. Atua sobre a microcirculação, diminuindo a permeabilidade dos vasos capilares e aumentando sua resistência. Auxilia na prevenção da hipertensão e diabetes. É fluidificante sanguíneo, lipolítico, neurotônico e estomáquico. Excelente para o trato respiratório, fortalecendo-o, além de auxiliar na digestão. Deve ser aplicado em banhos e durante o trabalho de fisioterapia, auxiliando tratamento das insuficiências venosas, flebite e trombose. Na aromaterapia, o Limão é excelente desinfetante aéreo, indicado para a manutenção da qualidade do ar nos períodos epidêmicos de gripes e viroses.
Contraindicação: não aplicar sob incidência de raios solares e evitar a exposição ao sol. Gestantes e crianças utilizar somente com orientação médica.


ÓLEO ESSENCIAL DE MANDARINA WNF (calmante) Citrus reticulata mandarine
O óleo essencial de Mandarina é o mais suave entre os óleos cítricos. É calmante e sedativo emocional, moderado regulador do sistema imunológico. Tônico digestivo, eupéptico, esti- mulador do apetite infantil. Seu aroma é relaxante e trabalha contra a insônia, excitação e agitação. Excelente para uso em difusor elétrico ou a vela durante 30 minutos antes das refeições.
Contraindicação: não aplicar sob incidência de raios solares e evitar a exposição ao sol. Fotossensibilizante. Gestantes e crianças utilizar somente com orientação médica.
ÓLEO ESSENCIAL DE MANJERICÃO WNF (neurotônico e digestivo) Ocimum basilicum
O Óleo Essencial de Manjericão WNF é anti -infeccioso, anti bacteriano e antisséptico. Atua diretamente nas bactérias Gram-positivas. É neurotônico, age positivamente sobre o sistema parassimpático, é hipotensivo, vasodilatador, tranquilizante, antálgico, estomáquico e diuréti co. Auxilia no tratamento de distonia neurovegetativa, hipertireoidismo, hipertensão arterial, taquicardia, arritmia cardíaca e dispneia pulmonar. Como auxílio emocional na aromaterapia, contra ansiedade, agitação e estresse.
Contraindicação: nenhuma conhecida dentro das finalidades e dosagens descritas neste manual. Gestantes e crianças utilizar somente com orientação médica.

ÓLEO ESSENCIAL DE MENTA ARVENSIS WNF (vaso constritor, neurotônico, adelgante) Mentha arvensis
O aroma do Óleo Essencial de Menta Arvensis WNF é mais doce que o da Menta piperita. Este óleo é interessante como vasoconstritor, para o alívio de pancadas e dores de cabeça, fortes como enxaqueca.  Seu aroma é refrescante e estimulante de secreções digestivas gástricas e vesiculares. Auxilia na recuperação de enjoos com vômitos e cólicas estomacais. Auxilia no tratamento da rinite, sinusite, rinofaringite e laringite. Alivia dores musculares e tensões nervosas. Contraindicação: não utilizar em crianças menores de 5 anos. Evitar absolutamente o uso em recém-nascidos e bebês, podendo provocar alergia e edema de glote. Não pode ser usado por gestantes.

ÓLEO ESSENCIAL DE PATCHOULI WNF (hidratante,regenerador, protetor) Pogostemon cablin
 O Óleo Essencial de Patchouli WNF é um excelente tônico vascular. Associado ao Óleo Vegetal de Gérmen de Trigo WNF, rico em vitamina E. O Patchouli auxilia no tratamento das varizes e hemorroidas. Em banhos, é interessante no tratamento de eczemas e dermatoses seborrêicas. No caso da utilização em compressas é efi caz no tratamento de escaras, acne, dermatites, alergias e parasitoses. Elimina rachaduras na pele seca e envelhecida, nos pés, joelhos e cotovelos. É utilizado como hidratante da pele ressecada no caso dos efeitos provocados pela menopausa.
Contraindicação: nenhuma conhecida dentro das finalidades e dosagens descritas neste manual. Gestantes e crianças utilizar somente com orientação médica.

ÓLEO ESSENCIAL DE PIMENTA PRETA WNF (tônico, fortificante) Piper nigrum
Quente, seco, apimentado e aromático, este óleo é especialmente focado na força, na sexualidade e na ativação das glândulas relacionadas ao sistema digestivo. Tem ação estomáquica e estilulante digestiva. Utilizado nos casos de insuficiência digestiva e hepatopancreática. Pode ser administrado nos casos de laringite e bronquites crônicas, assim como nos reumatismos e dores reumáticas. No sistema circulatório, pode ser utilizado com cautela nas anginas. Como o Óleo Essencial de Pimenta WNF é quente, age no corpo como regulador térmico, eliminando o excesso de muco.
Contraindicação: nenhuma conhecida dentro das finaalidades e dosagens descritas neste manual. Gestantes e crianças utilizar somente com orientação médica.

ÓLEO ESSENCIAL DE ROSA MARROCOS WNF (anti -aging) Rosa centifolia
É um dos mais caros e raros entre os óleos essenciais. São necessários cerca de 3.000 quilos de pétalas para a produção de 1 litro de Óleo Essencial de Rosa WNF. Excelente nos cuidados da pele envelhecida, madura e ressecada, pois possui geraniol. Age como anti rugas e clareador, controla a oleosidade e pigmentação da pele. Excelente cicatrizante, coagulante, afrodisíaco, envolvente e confortante. Seu aroma é característico, profundo e marcante, especialmente atraente para pessoas de personalidade clássica e formal. queimaduras diversas já que auxilia na regeneração celular do tecido cutâneo. Seu aroma é mais fresco e lenhoso do que a Lavanda comum. É antisséptico, bactericida e equilibrante. Relaxa a musculatura e oxigena os tecidos. Excelente para uso em massagens, banhos, difusão aérea e escalda-pés.
Contraindicação: nenhuma conhecida dentro das finalidades e dosagens descritas neste manual. Gestantes e crianças utilizar somente com orientação médica.

ÓLEO ESSENCIAL DE SÁLVIA ESCLAREA WNF (regulador menstrual) Salvia sclarea
O Óleo Essencial de Sálvia Esclarea WNF possui enorme similaridade com o estrogênio (contém até 7% de escloreol), desta forma age como regulador menstrual. Utilizado no auxílio do tratamento da pré-menopausa e da endometriose. É flebotônico, afrodisíaco e neurotônico. Possui efeito anti espasmódico, relaxante e anti  epitelizante. Pode ser utilizado para alterações hormonais ligadas ao estrogênio. Indicado para o tratamento de problemas circulatórios como: varizes, aneurisma venoso e hemorroidas. Melhora os níveis do colesterol. Pode ser utillizado como antimicótico. Na aromaterapia, pode ser utillizado contra a exaustão nervosa e mental. Contraindicações: evitar o uso prolongado (máximo de 20 dias). Evitar o uso em crianças e meninas adolescentes que estão para entrar no ciclo menstrual. Nunca utilizar durante a gravidez, pois é abortivo.

ÓLEO ESSENCIAL DE SÂNDALO AMIRIS WNF (descongestionante linfático e desintoxicante) Amyris balsamifera
A árvore do Sândalo chama-se Santalum álbum, leva mais de 30 anos para se tornar produtiva e é considerada sagrada na Índia. O Óleo Essencial de Sândalo Amiris WNF é obtido de outra planta, a Amyris balsamifera, que já há muito tempo substi tui o óleo de Sândalo por questões de preservação. Este óleo é indicado como descongestionante linfático e venoso, desintoxica o organismo e fortalece os tecidos. Seu aroma é lenhoso e suave, masculino e afrodisíaco. Diluído em Óleo Vegetal de Semente de Uva WNF, é um excelente hidratante para a pele e esti mulante da microcirculação. Protege contra ressecamentos extremos e contra rachaduras na pele, enrijece tecidos e estimula o couro cabeludo e o crescimento de cabelos.
Contraindicação: nenhuma conhecida dentro das finalidades e dosagens descritas neste manual. Gestantes e crianças utilizar somente com orientação médica.

ÓLEO ESSENCIAL DE TOMILHO WNF (bactericida) Thymus vulgaris
O Óleo Essencial de Tomilho WNF foi descoberto no Brasil por profi ssionais da área da saúde. Na podologia, tem se mostrado um óleo de extrema eficácia nas onicomicoses, sendo um poderoso anti fúngico, bactericida e parasiticida,  fortalece a pele e elimina pruridos de pequenas infecções cutâneas. Pode ser aplicado em psoríase e deve ser diluído em Óleo Vegetal de Gérmen de Trigo WNF. A utilização pura deste óleo seca verrugas. Tem efi cácia sobre alguns tipos de verrugas, para isso deve ser aplicado puro, com haste flexível de algodão. Indicado na exaustão nervosa e nas dores reumáticas e musculares
Contraindicação: nenhuma conhecida dentro das finalidades e dosagens descritas neste manual. Gestantes e crianças utilizar somente com orientação médica.

ÓLEO ESSENCIAL DE ZIMBRO/JUNIPERO (tônico, desintoxicante, linfático) Juniperus communis
O Óleo Essencial de Zimbro WNF é um poderoso diurético, ajuda a eliminar toxinas do organismo, transformando-as em uréia. É utilizado em drenagens linfáticas e no tratamento da celulite. Age como tônico tissular, é antisséptico e anti reumático. Pode ser aplicado no auxílio do tratamento da artrite. Fortalece a musculatura. Enrijece tecidos, protege contra edemas. É utilizado como estimulante sexual masculino. Excelente nos tratamentos de manutenção pós cirúrgicos. Seu aroma lembra limpeza, expansão e refrescância com um toque “masculino” que no emocional remete a segurança.

 Contraindicação: nenhuma conhecida dentro das finalidades e dosagens descritas neste manual. Gestantes e crianças utilizar somente com orientação médica.

Fonte: http://www.wnf.com.br/portal/MANUAL-TECNICO-DE-APLICACOES.pdf

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Yin e Yang do Rim

Yin e Yang do Rim(Shen)

A teoria do Yin/Yang é um enquadramento conceitual usado para observar e analisar o mundo material na China ancestral. A teoria permeia todos os aspectos da Medicina Tradicional Chinesa. Ela serve para explicar a estrutura orgânica, funções fisiológicas e alterações patológicas do corpo humano, e guia o diagnóstico clínico, tratamento e prevenção.
De acordo com a teoria do Yin e Yang em relação às estruturas orgânicas do corpo humano, a forma física pertence ao Yin, enquanto atividades ou funções pertencem ao Yang. As formas físicas são a base material para as funções, enquanto as funções são a força motriz para a forma física. Elas são mutuamente complementares. A MTC vê o Rim (Shen) como o centro do corpo Yin e Yang, a “fundação congênita”, ou a origem da vida. Em outras palavras, o Rim (Shen) guarda o Yin primordial e o Yang primordial (também chamados de Yin e Yang do Rim (Shen).
Yin do Rim (Shen), também chamado de Yin Primordial ou Yin Verdadeiro é o fundamento dos fluidos de todo o corpo, ele umidifica e nutre os órgãos e tecidos.
Yang do Rim (Shen), também chamado de Yang Primordial ou YangVerdadeiro, é o fundamento do Yang Qi de todo o corpo, ele aquece e promove as funções dos órgãos e tecidos.
Yin do Rim (Shen) provê energia para as funções fisiológicas enquanto oYang do Rim provê armazenamento para o Yin do Rim (Shen). O Yin e Yang do Rim são mutuamente dependentes promovendo e restringindo um ao outro, conduzindo a uma harmonia interna do Yin e Yang e do funcionamento saudável dos órgãos. É a interação dinâmica entre os dois que mantém a atividade normal da vida. O terceiro capítulo do Suwen (Questões Básicas) confirma dizendo :**“Quando o Yin está estabilizado e o Yangestá bem conservado, o espírito estará em harmonia; a separação do Yin e Yang causará exaustão da Essência e Qi”, confirmando a interrelação existente entre Yin e Yang.

Quando o desequilíbrio ocorre

Quando o equilíbrio do Rim (ShenYin e do Rim (ShenYang é interrompido, mudanças patológicas tomam lugar e surgem enfermidades.
Na Deficiência do Yin do Rim (Shen) apresentam-se: dor e fraqueza da região lombar e joelhos, tonturas, zumbido nos ouvidos, problemas de audição, boca e garganta seca, sensação de calor nas palmas das mãos, solas dos pés e peito, sudorese espontânea, constipação e emissão seminal. O pulso é fraco ou fino e rápido; a língua é vermelha e coberta com uma fina camada de saburra. A Deficiência de Yin do Rim produz sinais de Calor Vazio.
Na deficiência do Yang do Rim (Shen) incluem: dor ou sensação de frio nos joelhos e região lombar, aversão ao frio, extremidades frias, fadiga mental, dificuldade em urinar, enurese, incontinência, perda de libido ou impotência em casos severos; esterilidade feminina e edemas gerais podem ocorrer. O pulso é fino ou fino e profundo; a língua apresenta-se edemaciada, úmida, e coberta com saburra branca. A Deficiência de Yangdo Rim (Shen) produz sinais de frio interno.
Por serem interdependentes entre si, Yin e Yang se influenciam mutuamente. Por isso, se o Yin do Rim (Shen) sofre danos, a longo prazo oYang do Rim (Shen) será afetado, o que resultará em esgotamento do Yin e do Yang. Durante o tratamento de rotina, quando tonificamos o Yin, também estamos dando suporte ao Yang, e vice versa. De acordo com a diagnose clínica, Yin e Yang são revigorados em diferentes graus. Na dinastia Ming (1368-1644), um médico notável, Zhang Jiebin (1563-1640) percebeu que “O corpo inclina-se à deficiência em lugar do excesso. É necessário aquecer o Rim (Shen) e tonificar o Yin e o Yangdo Rim (Shen) de tempos em tempos, e utilizar ervas frias e potentes com cautela. Portanto o Rim (Shen), que é o alicerce de todos os órgãos, pode ser consolidado.” Ele também di que “tonificando o Yin, o Yang estará protegido, não suprimido, e vice versa.” Esse conceito é geralmente aceito até hoje, e muitas de suas fórmulas relacionadas à tonificação do Rim (Shen) continuam populares.

Sobre a Deficiência do Qi e do Yang do Rim (Shen)

A Deficiência do Yang do Rim (Shen) e a Deficiência do Qi do Rim (Shen) representam diferentes estágios de um processo. Deficiência do Yang do Rim (Shen) e Deficiência de Qi do Rim (Shen) apresentam similaridades, mas ainda podem ser diferenciadas clinicamente. As manifestações da Deficiência de Yangdo Rim (Shen) seguem as regras de Vazio de Yang com Frio Interno; portanto usualmente apresenta sintomas de Frio, como frio e dor na região lombar e frio nas extremidades. Quando o Rim (Shen) não exerce sua função de armazenamento por uma deficiência de Qi do Rim (Shen), podem aparecer sintomas associados, como aumento na frequência na urina, grandes quantidades de urina clara, incontinência, enurese, emissão seminal, aborto ou aborto espontâneo.
A Deficiência do Yang do Rim (Shen) e a Deficiência de Qi do Rim (Shen) representam diferentes estados de um mesmo processo. O manejo inadequado da Deficiência do Qi do Rim leva a uma Deficiência do Yang do Rim. Em contraste, a gestão adequada da Deficiência do Yang do Rim leva a sintomas menos graves da Deficiência do Qi do Rim (Shen) e à recuperação gradual do estado normal.

Sobre o Qi do Rim (Shen) e a Essência do Rim (Shen)

Essência e Qi encaixam-se em diferentes categorias. Em tempos ancestrais, oQi pertencia ao Yang e era chamado Yang Qi. Portanto o Qi do Rim (Shen) pertence ao Yange representa todas as funções do Rim. Por outro lado, a Essência(Jing), Sangue (Xue), e Fluidos (Jin Ye) são geralmente chamados de Essência YinPela Medicina Tradicional Chinesa. A Essência Yin é a base material para as funções fisiológicas do corpo e também para o Rim como um todo. As manifestações de deficiência de Yin do Rim (Shen) segue as regras do Calor Interno por Vazio de Yin, portanto frequentemente apresenta sintomas de calor como boca e garganta seca, sensação de calor nas mãos, solas dos pés e peito. Entretanto a Deficiência da Essência do Rim (Shen) normalmente não apresenta sintomas de calor.
Citando a analogia do Yin e Yang, a Essência do Rim (Shen) é a base material enquanto o Qi do Rim é a força funcional. A Essência do Rim (Shen) e o Qi do Rim (Shen) são complementários e estreitamente relacionados.
Bibliografia: Understanding Kidney Yin and Kidney Yang - Prof. Zou Yanquan (鄒燕勤教授)

Fonte:http://flordeameixeira.com/init/teoria/yinyangshen/

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Visualização Criativa



A Visualização Criativa é uma técnica que está difusa em várias áreas e correntes, sejam terapêuticas, sejam de auto-ajuda. A PNL tem muito de visualização em suas técnicas, principalmente quando trabalha com mudança de submodalidades. Para os praticantes de Visualização, a mudança de submodalidades é perfeitamente adequado para ser encaixado em suas práticas. Mas a Visualização Criativa é uma corrente que tem vários livros publicados – uns mais “psicológicos”, sobre aprendizado, interação e melhoria mente-corpo, e outros mais “holísticos”, sobre influência metafísica, energética e sucesso pessoal. Quer dizer, tem para todos os gostos.
Como a Visualização é uma técnica que é utilizada a séculos, para mim ela é anterior à PNL. Até a Gestalt, que é anterior à PNL, utiliza técnicas que são inspiradas na visualização… E a terapia Cognitiva-Comportamental, mesmo que não o afirme, usa hoje também muitas técnicas similares. Nunca fiz uma pesquisa sobre isso, mas tenho a opinião que quem começou a descrever as bases científicas da Visualização foram os estudantes de magia mental, no fim do século dezenove, que buscaram conciliar as técnicas de imaginação dirigida ensinadas nas antigas escolas esotéricas com o conhecimento científico da Revolução Industrial.

Outros consideram a Visualização como um tipo de auto-hipnose. Contudo, o pessoal mais especializado em Hipnose enfatiza que a Hipnose é básicamente hiperconcentração. E a Visualização (ou Imagery, para ficar mais sofisticado) é uma espécie de “homeopatia mental” onde usamos imagens para estimular respostas nos vários sistemas humanos – seja imunológico, se for para apoio em tratamentos de doenças, tais como o Dr. Simonton faz com pacientes com câncer, seja no sistema muscular, se for para treinamento de esportistas ou até no sistema emocional-cognitivo, tal como no treinamento de dessensibilização de fobias, como a Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) utiliza.

Mas para mim o substrato de todas estas técnicas é similar. Todas utilizam o poder da amígdala, uma regiãozinha miraculosa no cérebro humano, que redireciona as emoções e afeta o corpo, a partir do que é pensado pelo ser humano. E este processo é similar, seja na hipnose, na meditação e na imaginação dirigida. Reputo que é até o mesmo processo que usamos na PNL…

O que varia uma ou outra aplicação é o grau, a intensidade do processo de concentração e emoção utilizada e, também, alguns “temperos” adicionais que utilizam, tais como dramatizações, metáforas, sequências específicas para indução dos estados.

A visualização é um reprocessamento mental. E como toda percepção e pensamento afeta o corpo, a mente, o aprendizado e o comportamento, a visualização serve para que, pelo “efeito dominó”, possamos fazer muito a partir de uma pequena mudança mental…

Não advogo para ficarmos apenas pachorrentamente visualizando, como uma maneira preguiçosa de resolver os problemas. Ao contrário, enfatizo que a ação positiva, junto com o pensamento concentrado na solução – algo que a visualização pode ajudar – é a melhor maneira de agir na vida.

A visualização fornece um feedback de cenas positivas, o que afeta a memória de longo prazo, modificando a reação às cenas do passado. Na verdade, a visualização é uma técnica principalmente de aprendizagem, ou reaprendizagem, no caso.

A quantidade de livros publicados no exterior é enorme – no Brasil há muitos também. Eu já li vários e vou comentar os que eu li. Considero que estudar visualização pode ser útil para os praticantes de PNL e para aumentar a criatividade, seja no espaço terapêutico, seja em interações profissionais de aprendizado, liderança e negócios, bem como na vida pessoal.

Alguns podem rejeitar a Visualização porque a consideram pseudocientífica, algo “mágica”. Eu por mim a considero “metamágica”, isto é, meta é um radical grego que significa “além”, como também “referente a si mesmo” e até é um radical latino que significa “objetivo”. Logo, para mim Visualização é uma técnica que busca refletir o conceito íntimo do que significa “mágica”, independente de crenças filosóficas, em uma reflexão sobre os mais profundos objetivos pessoais..

Vamos à literatura:

– Visualização – Um Guia Introdutório – Helen Graham – Editora Nova Era
Um livro fácil, simples e pequenininho, para começar. Apresenta a visualização principalmente para objetivos de autoterapia e melhoria de personalidade. É bem similar, em suas aplicações e forma de descrever as técnicas, ao trabalho de uso de metáforas na PNL e na auto-hipnose. Tem exercicios para trabalhar com dor, com cura física e melhoria mental. No finalzinho, ensina algo mais transpessoal, um exercício para a conexão do Eu. Acho um bom livrinho para começar.

– Visualização – O Sucesso através dos Olhos da Mente – Ana Maria Rossi – Editora Rosa dos Tempos
Esta é uma psicóloga e hipnoterapeuta de Porto Alegre que tem uma Clínica de Biofeedback. Apesar do nome, não tem parentesco com o Ernest L. Rossi da hipnose ericksoniana… O livro dela também é fininho e fácil de ler. Ao livro anterior ela acrescenta alguns exercícios mais bem elaborados, detalha mais como é o mecanismo da cura mente-corpo, tem auto-testes. Também vale a pena para iniciar.

– Visualizar para Mudar – Patrick Fanning – Editora Siciliano
Este livro eu gosto muito. É mais pesado, detalha vários exercícios e aplicações interessantes, é bem completa a forma como descreve a visualização. No final do livro ele colige as fontes de informação para o trabalho de visualização, descrevendo o xamanismo, as tradições gregas, egípcias, orientais, na Idade-Média, no século dezenove e vinte. Fala da popularização da visualização no movimento New Age, onde estas técnicas começaram a ser utilizadas por várias correntes terapêuticas.

– Imaginação Ativa – A Arte de Curar-se Através do Poder da Mente – Serge King – Pensamento
Um livro mais antigo e bem interessante. A primeira parte apresenta os conceitos da visualização, enfatizando que ela deve ser multissensorial – isto tem muito a ver com o VACOG da PNL, não é? E fala também das imagens mentais implícitas nas palavras que usamos para metaforizar o nosso mundo. Tudo a ver com a PNL. A segunda parte são algumas receitas de bolo: sugestões para trabalhar estados psicossomáticos e problemas em regiões específicas do corpo, tais como a cabeça, o tórax, o abdomen, as pernas. Ele conceitua como Centros: da Comunicação, da Identidade, da Segurança, do Progresso. É uma espécie de metaforização do corpo. Como isso só tem neste livro, vale a pena adquiri-lo, mesmo que você não concorde com todos os pontos de vista do autor. No final ele mostra um grande elenco de técnicas. É um livro pequeno, barato e bom.

– Com a Vida de Novo – O. Carl Simonton, Stephanie Matthews-Simonton e James Creighton – Summus Editorial
Um excelente livro escrito por um médico oncologista, sobre a abordagem de terapia de apoio da visualização em pacientes terminais de câncer. Os depoimentos são impressionantes. Livro imperdível. Só digo isto. Imperdível. Compre. E leia. Ah, saiu também “A Família e a Cura – O Método Simonton para Famílias que Enfrentam uma Doença” de Stephanie Matthews-Simonton. Também pela Summus. Só é válido se você estiver trabalhando com oncologia ou tem parentes enfrentando o problema. Não é de técnicas de visualização.

– A Imaginação na Cura – Xamanismo e medicina moderna – Jeanne Achteberg – Summus
Pelo nome “xamanismo” e pela capa você pensaria que é um livro mais esotérico, não é? Pois se enganou. É um livro super-científico sobre as pesquisas que comprovam a eficácia da imaginação como fator de cura, na medicina e na psicoterapia. Muito bom mas é só teórico. Faz uma extensa análise das aplicações da visualização em várias correntes terapêuticas.

– Visualização Criativa – Shakti Gawain – Editora Pensamento
Ah, agora cheguei no livro mais conhecido da área, o verdadeiro campeão de vendas… Shakti é uma terapeuta holística americana, da linha Osho, que escreveu este livrinho, facílimo de encontrar em qualquer lugar. É simples? É. É receita de bolo? É. É meio esotérico? É. Mas vale a pena ler, se você quer ficar por dentro da visualização. E ela escreve de um jeito bem motivante. Se você não tem nada contra as idéias de um Eu Superior, leia-o. Encare-o como uma nominalização e vá em frente. A propósito, este livro fez tanto sucesso que ela escreveu outros, dos quais eu tenho também “Vivendo na Luz – Um Guia para a Transformação Pessoal e Planetária”, com Laurel King, também da Pensamento. É um livro mais técnico, até melhor escrito, mais foge um pouco dos conceitos específicos de Visualização e não vou recomendar aqui.

– Imagens que Curam – Guia Completo para a Terapia pela Imagem – Gerald Epstein.M.D. – Editora Xenon
O psiquiatra Gerald Epstein se tornou um dos especialistas mais conceituados na análise da Visualização como técnica terapêutica. Este livro também é um campeão de vendas. Na verdade, não é um livro técnico, teórico, apesar dele ter escrito vários livros teóricos do assunto. É um livro com sugestões de visualizações, para vários problemas de saúde. É receita de bolo sim. Mas é tão completinho que pode dar boas sugestões para aplicações específicas. Ele se arrisca um pouco perante o establisment médico: há visualizações até para tratamento da Aids… Em suma, se gostou da visualização e quer trabalhar com ela como técnica terapêutica no seu dia a dia, vale a pena comprar este livro. Em português tem também um livro novo dele, mais teórico, “A Terapia do Sonho Acordado” – Editora Livro Pleno. Este é um dos livros dele teóricos, com histórias de pacientes que usaram imagens mentais e sonhos para se curar. Só é válido se você é terapeuta especializado. Tem também o livro “Curar para a Imortalidade”, pela Editorial Psy. É mais metafísico e filosófico, mas é válido. Compre só se você virou fã do Epstein (como eu, que comprei, mas só folheei).

– Visualize a sua Cura – Exercícios de visualização inspirados nos salmos – Anita Moraes – Cultrix/ Pensamento
É um similar ao Imagens que Curam – várias receitas específicas para se utilizar em questões específicas. Apesar da menção aos salmos no título, o livro não tem nada de religião católica ou protestante. São sugestões de exercícios bem interessantes. Vamos prestigiar o similar nacional e comprar este também.

– Visualização Criativa com Crianças – Jennifer Day – Editora Cultrix
É um livro de técnicas adaptadas exclusivamente para as crianças experimentarem o poder maravilhoso da visualização criativa. Recomendo se você é professor ou tem filhos entre cinco a onze anos. Veja bem, não é um livro super-fantástico, muitas das técnicas de visualização ensinadas em outros livros você pode usar com crianças e terá ainda mais facilidade. Mas este livro pode lhe dar dicas boas. Existe também o livro “Meditando com Crianças”, de outra autora, que não vou colocar nesta lista pois apesar de utilizar muita visualização, é um livro específico de aprendizado da meditação.

– Psico-Pictografia: a nova maneira de usar o miraculoso poder de sua mente – Verno Howard – Editora Bestseller
Vocês podem estar pensando: “agora o Azevedo aloprou de vez”. Mas calma, gente. Estou colocando este livro como um exemplo de como o movimento de auto-ajuda usou e abusou à exaustão dos conceitos da Visualização Criativa, transformando-a em panacéia. Verno Howard, Norman Peale e outros autores, nas décadas quarenta, cinquenta, sessenta e setenta do século vinte publicaram centenas de livros, misturando conceitos de pensamento positivo com técnicas de imaginação dirigida, algumas melhores e outras piores. Eu só separei este livro porquê o Vernon Howard, destes autores todos, foi o que fez o livro mais específico sobre Visualização – pelo menos que eu conheço. Este livro é de 1965.É um livro interessante, porque ele no final sugere que os leitores façam “reuniões de psico-pictografia”, onde treinem os Quadros Mentais de Sucesso etc. Não estou recomendando que procurem este livro, é apenas para ilustrar o uso. Coloquei ele aqui para não incluir os livros de Dianética e Psicocibernética, que usam bastante Visualização, mas tem também outros conceitos e acabam fugindo dessa listinha específica de quem quer aprender visualização.

– Imaginação Criadora – Roy Eugene Davis – Editora Seicho-No-Ie
É um livro baratinho à venda nas organizações Seicho-No-Ie, que o utilizam, apesar de não ser um livro específico da Seicho. Acho que vale a pena ler.

– A Cura pelas Imagens Mentais – Mike e Nancy Samuels – Editora Xenon
Mais um livro específicamente psicoterapêutico. Bem equilibrado entre teoria e exercícios. Só compre se você quer realmente se aprofundar mais.

– Imagine-se magro – técnica de visualização para perder peso sem dieta nem exercícios – Debbie Johnson – Editora Record
Interessante… um livro inteiro para uma aplicação específica. Boa jogada de marketing, concordo. Mas acho que vale a pena. Tem técnica e teoria. Compre apenas se pretende trabalhar com emagrecimento alternativo, como terapeuta de atitudes. Ou se estiver enorme de gordo.

– A Arte e a Prática da Visualização Criativa – Ophiel – Editora Pensamento
Coloquei este livro aqui apenas pelas cartelas coloridinhas de treinamento de visualização que ele tem. Mas não acho que valha muito a pena. É um livro de visualização esotérica. Se você (como eu) também gosta de um ritualzinho esotérico de visualização, aí sim, pode comprar…

– A Visualização Criativa pode Mudar Sua Vida – Shakti Gawain – editora Sextante, 2002
Com o subtítulo de “Usando o poder da imaginação para curar o que você quer em sua vida” é um livro-CD (com técnicas de relaxamento e visualização), encontrável em qualquer boa livraria. E agora vai sair um DVD com o mesmo título – mas bem diferente. O texto é meio autobiográfico, Shakti conta como foi desenvolvendo seu interesse e abordagem da visualização. Não achei o texto lá grande coisa, não me fisgou, mas tem gente que vai gostar, por estar em forma de relato.




http://www.antonioazevedo.com.br/archives/98

Drenagem Linfática Facial e Rejuvenescimento



A drenagem linfática manual é um recurso terapêutico importante quando se considera o rejuvenescimento facial, por melhorar o aporte sanguíneo e linfático local e consequentemente a nutrição celular e tecidual. A técnica também colabora para manter a tonicidade e a elasticidade da pele, além de estimular as funções do sistema imunológico.

A drenagem linfática suaviza a expressão facial através do relaxamento dos músculos da face. A excessiva contração dos músculos faciais prejudica a circulação do sistema linfático, provocando o acúmulo de líquidos e toxinas na região, resultando em uma expressão abatida e de cansaço e favorecendo o aparecimento de rugas precoces.

Para a obtenção destes efeitos a técnica pode ser executada diariamente ou em dias alternados em sessões com duração aproximada de trinta minutos. Os primeiros efeitos na pele podem ser notados após algumas sessões executadas de forma adequada, porém os benefícios da técnica são cumulativos e melhor percebidos após algumas semanas de tratamento.

Devem ser realizadas sessões de manutenção após um primeiro ciclo de tratamento associadas ou não a outros recursos à critério do profissional mediante avaliação físico-funcional da face do paciente.



A drenagem linfática é uma técnica de massagem que ajuda a eliminar toxinas e ativar a circulação sangüínea. Apesar de estar associada ao corpo, para o tratamento de celulite e recuperação no pós-operatório, pode fazer maravilhas também pelo rosto.



A drenagem linfática facial oxigena a pele, deixando-a mais firme, com mais viço, e é capaz até de reduzir as linhas de expressão .



Um rosto gordinho pode "emagrecer" com a técnica, se tiver líquido retido. A técnica não tem contra-indicação, a não ser para quem sofre de trombose ou problemas renais graves. As sessões podem ser feitas uma vez por semana, ou até mais, como três ou quatro no caso de um tratamento para peles mais necessitadas.



Todos os toques devem ser feitos suavemente, sem pressão. Os movimentos são deslizantes, e têm como objetivo desobstruir os canais linfáticos, causando sensação de bem-estar e provocando maior eliminação do líquido retido no organismo, através da urina.







Fonte: PORTAL EDUCAÇÃO - Cursos Online : Mais de 1000 cursos online com certificado
http://www.portaleducacao.com.br/educacao/artigos/35935/drenagem-linfatica-manual-e-o-rejuvenescimento-facial#ixzz3qjAoN03c

Drenagem Linfática - Técnicas



Estudo Comparativo das Técnicas de Drenagem Linfática Manual Estudo Comparativo das Técnicas de Drenagem Linfática Manual segundo Vodder, Foldi E Leduc.


Desenvolvemos este trabalho a fim de pontuarmos as semelhanças e diferenças fundamentais de Drenagem Linfática Manual, segundo Vodder, Foldi e Leduc. Com o objetivo de compararmos as técnicas de Drenagem Linfática mais aceita no meio acadêmico.

INTRODUÇÃO

Dentre as muitas técnicas de terapias manuais, a Drenagem Linfática Manual destaca-se por seus efeitos no organismo como um todo, não apenas na prevenção como também no tratamento de diversos problemas. A Drenagem Linfática Manual possui um vasto campo de atuação na área estética ou terapêutica, pré e pós-operatórios, em tratamentos de stress ou doenças musculares.

Porém, é fundamental para o massoterapeuta, ser consciente das suas limitações, obter profundo conhecimento das estruturas afetadas, sintomas e patologias, para realizar um trabalho com grande margem de segurança e, então, obter êxito nas intervenções. Caso contrário este poderá não só agravar o problema, como causar outras seqüelas.

A Drenagem Linfática executada com seriedade e conhecimento, apenas produz efeitos benéficos, no entanto, a luta para o reconhecimento, respeito e valorização desta atuação entre as demais é uma constante busca nossa...e, a partir de agora, responsabilidade sua também. Para tanto, convidamos você para mergulhar neste fantástico mundo de conhecimentos para o trabalho com as mãos.

A terminologia "DRENAGEM LINFATICA MANUAL" é conhecida desde 1933, com a apresentação do Dr. Phil. Emil Vodder deste novo conceito, em um congresso em Paris.
Esta técnica de massagem era revolucionária na época, no sentido de que ele propunha mobilizar os líquidos do corpo através de novas manobras e, sobretudo massageando as regiões de linfonodos que então, eram qualificados como zona proibida pelos terapeutas da época.
Vodder desenvolveu sua técnica de maneira intuitiva enquanto que a linfologia não estava mais do que em seus primeiros dias de existência.
Seu método era empírico, mas eficaz levando numerosos médicos a se interessarem pelo mesmo, entre eles: E. Künhnke, M. Collard, H. Mislin e MICHAEL FÖLDI. Eles esperavam poder utilizar o método de E. Vodder em medicina, a fim de tratar os linfoedemas. Em efeito, até então os tratamentos e as técnicas cirúrgicas não ofereciam solução satisfatória para os pacientes afetados pelo linfoedema.
Após muitos anos de pesquisa em linfologia, FÖLDI se consagra ao aspecto clinico desta disciplina abrindo sua própria clinica de linfologia na Alemanha em 1978.
Logo depois de descrever os vários tipos de insuficiências do sistema linfático o que constitui a referência há muitos anos em linfologia médica, FÖLDI teve o mérito de achar uma combinação de meios terapêuticos, dos quais a DRENAGEM LINFATICA MANUAL, para tratar com sucesso os linfoedemas.
A DRENAGEM LINFATICA MANUAL utilizada por FÖLDI é inspirada no método de Vodder, do qual as técnicas foram analisadas e adaptadas às patologias linfáticas e tratamentos estéticos.
A DRENAGEM LINFATICA MANUAL segundo FÖLDI comporta quatro manobras de base e diferentes manobras especificas em função da localização e da qualidade dos tecidos, em um vasto leque que permite aos profissionais abordarem os diferentes problemas de maneira especifica.O tratamento de um linfoedema, por exemplo, se distingue do que é usado para e celulite e consiste, nestes dois casos, em drenar os tecidos congestionados.
Leduc, doutor em Kinesiterapia praticante na Bélgica, se inspirou igualmente no método de Vodder.Após ter conseguido objetivar a eficácia de duas manobras que ele qualifica de manobra do chamado e manobra de reabsorção, Leduc as aplicou dentro do tratamento de edemas.
Atualmente, a DRENAGEM LINFATICA MANUAL está padronizada de acordo com o modelo criado por FÖLDI. Isto quer dizer que combina vários meios terapêuticos.
O METODO FÖLDI DE DRENAGEM LINFATICA MANUAL está associada a bandagens redutoras com multicamadas, ginástica e exercícios respiratórios descongestionantes.
A respeito do tratamento da celulite, o conhecimento terapêutico continua mais diversificado e varia de acordo com cada escola.
FÖLDI fala dentro deste contexto de "lipoedema". Para reduzi-la, ele propõe um conjunto de medidas terapêuticas onde a DRENAGEM LINFATICA MANUAL e as COMPRESSÕES representam meios absolutamente indispensáveis.

HISTÓRICO DA DRENAGEM LINFÁTICA


Iniciada pelo cirurgião austríaco Winiwater no final do século passado, redescoberto em 1932 pelo Dr. Emil Vodder e desenvolvido por renomados cientistas como Casley-Smith, Földi, Leduc e tantos outros, a Massagem de Drenagem Linfática ou Drenagem Linfática Manual (DLM), é uma técnica de massagem altamente especializada, feita com pressões suaves, lentas, intermitentes e relaxantes, que seguem o trajeto do sistema linfático, tendo como objetivo aprimorar algumas de suas funções, trazendo vários benefícios como redução dos edemas linfáticos, inchaços pós-operatórios, lipoedema, celulite, retenção hídrica, acne, etc., estimulando a regeneração e a defesa dos tecidos, aumentando a diurese e a eliminação das toxinas, devolvendo assim, o equilíbrio hídrico e homeostático do organismo. Apesar de ser uma massagem suave, o DLM produz efeitos profundos e sistêmicos, tendo suas contra-indicações absolutas e relativas, o que significa que não pode ser usada em qualquer caso, o que exige do profissional conhecimento maior em anatomia e fisiologia humana, principalmente em sistema linfático.

É uma técnica de grande eficácia terapêutica e estética, com efeitos iniciais imediatos, de reconhecimento científico mundial, aprovado pelas pessoas que já a usufruíram, com uma procura cada vez maior e muito comentada pela imprensa leiga. Todos estes aspectos e muitos outros fazem da DLM uma massagem de altíssimo nível, o que a coloca no rol das melhores técnicas do mundo.

Desde que, por volta dos anos 30, o Dr. Vodder e a sua esposa criaram e introduziram com êxito a Drenagem Linfática Manual no tratamento de afecções crônicas das vias respiratórias superiores, o seu campo de aplicações médicas foi-se ampliando e aprofundando com o passar do tempo e vários outros pesquisadores desenvolveram métodos próprios de DLM.Hoje a DLM esta padronizada segundo o método Földi. Em alguns casos a DLM, constitui um procedimento principal de tratamento, como é o caso dos Linfoedemas, enquanto noutros casos há que considerá-la simplesmente como uma terapia acompanhante ou de apoio. Será impensável não pensar nela quando se fala de Pós-mastectomia ou de qualquer outra intervenção cirúrgica estética ou terapêutica.

Tendo o nome originado do latim vasa limpidus (água límpida), a linfa é justamente o avesso do sangue: este logo brota, em tons vivos de vermelho, no momento em que as veias e artérias sofrem algum dano. Aquela não, permanecendo escondida dentro dos canais por onde passa. E talvez seja esta a causa de ter ficado por tanto tempo oculta aos olhos dos estudiosos. Somente no século 17, o pesquisador francês Jean Pecquet começou a decifrar os segredos deste processo. No entanto, sua descoberta passou despercebida, e foram necessários 20 anos para ser aceita pela Academia de Ciências daquela época.

Em 1930, finalmente, descreveu-se com precisão o funcionamento do sistema linfático.

DRENAGEM LINFÁTICA MANUAL
É uma técnica manual específica, cuja ação principal é sobre o sistema linfático superficial e toda sua estrutura anatômica e fisiológica. Onde drenará os líquidos excedentes que circundam as células, mantendo o equilíbrio hídrico dos espaços intersticiais.
Tendo a função de limpeza, desintoxicação do organismo, referente às macro moléculas, mantendo-as em níveis normais de concentração, auxiliando na reeducação do sistema linfático, prevenindo recorrência de alterações circulatórias, restabelece ou acelera a circulação linfática, aumentando a motricidade do linfangion e ativando capilares inativos.
A Drenagem Linfática Manual tem indicação nos casos de edema tecidual, pré e pós-operatório, circulação sanguínea de retorno comprometida, desintoxicação e regeneração tecidual, e no auxílio do relaxamento.
Devemos na execução da Drenagem Linfática manual observar duas etapas; a evacuação, onde as manobras são executadas de proximal para distal, criando possibilidade de aspiração da linfa centripetamente, tendo a função de atrair a linfa distal e evacuar as que estão nos pré-coletores e coletores, e a outra etapa a observar é a captação, onde vai drenar com manobras da região distal parta proximal, drenando a região afetada, tendo a função de drenar, absorver, recaptar o líquido acúmulo no interstício.
Para desenvolvermos uma Drenagem eficiente devemos seguir alguns itens importantes como: ritmo lento (pois a linfa desloca em torno de 2,5 cm / segundo), pressão suave em torno de 30 a 40 mmhg, a direção sempre em sentido a um grupo de linfonodos mais próximo, velocidade lenta (a contração do linfangion se dá a cada 6 a 10 segundos), a duração do tratamento nunca inferior a 30 minutos, e sempre trabalhar com movimentos respiratórios profundos para ativar a cisterna do quilo e ducto torácico.

É uma técnica específica de massagem manual que exige uma formação adequada. Esta técnica caracteriza-se por movimentos muito suaves e precisos sem o uso de produtos deslizantes.Na maioria dos casos estes tratamento tem a duração de 1 hora.

Estimula a circulação linfática nos vasos linfáticos ao acelerar a absorção de líquidos e das macro-moléculas do tecido intersticial, pela ativação da capacidade peristáltica destes vasos. Por isso, a Drenagem Linfática Manual faz absorver inúmeras formas de Edemas. Não só absorve formas de edemas aparentes, como também o faz a formas menos visíveis, como, por exemplo: os Edemas Pós-Operatórios dos membros, o edema do braço depois de uma Mastectomia, assim como os edemas Pós-Traumáticos, como os que aparecem quando se faz uma fratura óssea; mas também é eficaz em formas de edemas ainda menos visíveis, como os que podem dar origem a dores de cabeça, dores da coluna vertebral, de uma tendinite ou bursite.A Drenagem Linfática Manual segundo Földi estimula o processo imunitário, ao aumentar, na zona cortical dos linfonodos, a produção de linfócitos.

A Drenagem Linfática Manual é indicada de forma indiscutível em todos os casos de Linfoedemas, ou seja, de edemas resultantes de uma debilidade ou de uma diminuição de capacidade de transporte do sistema linfático.A Drenagem Linfática Manual favorece a regeneração dos tecidos.
Este efeito regenerativo pode explicar-se pela eliminação do edema intersticial, fator de diminuição da velocidade da micro circulação. Segundo Földi, este fato também se poderia explicar pelo aumento da produção de linfócitos, cujo núcleo tem um papel alimentício e regenerador para os tecidos. Este fenômeno foi observado em úlceras varicosas, osteoporoses, celulite e enxertos de órgãos.A Drenagem Linfática Manual exerce uma ação sedante, tranqüilizante e relaxante. Favorece o predomínio do sistema nervoso parassimpático, à parte do sistema nervoso autônomo que preside à recuperação de forças e à regeneração de tecidos. De fato, quando se inicia o tratamento, a maioria dos pacientes sente que os seus músculos se relaxam, as suas pálpebras pesam e uma sensação de torpor invade-os.

Efeitos da Drenagem Linfática Manual:
A Drenagem Linfática compreende uma massagem suave e superficial sobre as trilhas de circulação linfática, visando estimulá-la. Através desta massagem, busca abrir as eclusas dos canais linfáticos, procurando facilitar a passagem mais rápida da linfa.

O sistema linfático compreende uma via secundária de acesso, por onde os líquidos provenientes do interstício são devolvidos ao sangue. Esta circulação está intimamente ligada à circulação sangüínea e aos líquidos teciduais, pois estes são absorvidos e transportados para a extensa rede de capilares linfáticos e, através de vasos progressivamente maiores, desembocam no sistema venoso pelo coletor principal. O sistema linfático possui uma função essencial de transporte e absorção de líquidos. Os linfonodos são distribuídos em pontos específicos da rede linfática e formados por tecido linfóide, vasos de grande e médio calibre, capilares linfáticos e tecido linfóide que compõem o sistema linfático.

O objetivo da drenagem linfática é direcionar o fluxo linfático, promovendo, assim, uma remoção mais rápida do excesso de líquidos do espaço intersticial. Apesar da ação da drenagem linfática ser diretamente em cima do sistema linfático, notamos também efeitos consideráveis na circulação sangüínea, no metabolismo, no tecido muscular, na pede e no sistema neurovegetativo.

EMIL VODDER foi o Pai e a Escola para a Drenagem Linfática e mais tarde para Terapia Física Descongestiva, Iniciou com movimentos circulares, suaves e rítmicos em centros de linfonodos para tratamentos de sinusites, e percebeu que aliviava diferentes patologias e reduzia edemas. Foi o primeiro método a influenciar a coleta, transporte e purificação da linfa. Inicialmente seu tratamento limitava-se ao membro atingido.
FASES DO TRATAMENTO DE VODDER:
· Fase Intensiva: - Drenagem Linfática Manual
- Bandagens diárias, duas vezes ao dia
- Cuidados com a pele
- Exercícios
- Instruções de auto tratamento e programa de dieta opcional.
· Fase manutenção: - Drenagem linfática manual
- Bandagens ou compressão

MICHAEL FOLDI, em 1963 criou a Terapia Física Complexa, e em 1995 o Comitê da Sociedade Internacional de Linfologia indicou sua drenagem sendo a Terapia para Linfedema.Foldi salientou a importância das Anastomoses, pois todo linfotoma bloqueado, a linfa deverá ser drenada para outra adjacente, direcionando para territórios sadios. Principais vias anastomóticas: axilo-axilar, axilo-inguinal, inguino-inguinal, áxilo-supraclavicular, por estas vias pode-se drenar cerca de 25 a 40% da linfa estagnada.
FASES DA TERAPIA FÍSICA COMPLEXA.
o Fase Intensiva:
- Higiênicas Gerais, elevação dos membros nos primeiros estágios do linfedema, cuidados com a pele, sol, traumatismos.
- Medidas de descompressão, a Drenagem Linfática Manual
- Medidas de contenção e compressão
- Ginástica Miolinfoquenética.
o Fase Manutenção Assistida:
Continuidade da fase anterior, utilizando a compressão permanente, sendo feita duas vezes semanais por 4 semanas.
o Fase Manutenção Pessoal:
O Paciente recebe instruções, ele próprio mesmo faz seu tratamento.
A TERAPIA FÍSICA COMPLEXA faz-se em ciclos de 4 a 6 semanas a cada 6 a 12 meses, entre elas a manutenção.
Dr. FÖLDI desenvolveu um método eficaz de DLM que atua drenando, tanto a linfa superficial como a linfa profunda, pois somente com um fluxo constante e correto da linfa teremos resultados realmente eficazes.
Qual a diferença do método FÖLDI para outros métodos?
Neste método trabalhamos a linfa de forma que o paciente obtém resultados rápidos e comprovados, podendo atuar em situações que os outros métodos não atuam.
Com o correto conhecimento e aplicação da técnica FÖLDI, pode-se intervir em quase todas as patologias que alteram o fluxo linfático ou arterio-venoso já conhecidos, inclusive, tratando edemas pós-cirúrgicos de câncer, pacientes com P. A elevada.
Dr. FÖLDI, utiliza desde manobras de drenagem manual até bandagens compressivas, havendo manobras próprias para lipoedema (celulite). Com todas estas aplicações, o método FÖLDI tem a vantagem de ser prático e fácil, que hoje, na Europa, é considerado o mais completo, sendo muito indicado em tratamentos pré e pós cirúrgicos, relaxamento corporal, tratamentos de patologias músculo-tendíneas, HLDG (celulite), entre outros muitos problemas.


ALBERT LEDUC adaptou o método de Foldi e Vodder, em 1977 comprovou a Ação acelerante da Drenagem linfática manual através da radioscopia eletrônica, foi o fundador do grupo Europeu de Linfologia, seu tratamento era baseado no tipo de distúrbio encontrado.

Leduc trabalha em caso de edemas com abordagem, se for um edema menos importante utiliza a drenagem linfática manual mais exercícios, e em casos de edema mais acentuado Drenagem linfática manual mais pressoterapia e bandagens.
...Quanto ao local de aplicação, Leduc trabalha na zona sã ou infiltrada, de proximal para distal ou vice-versa, no caso de linfedema primeiro drena a raiz do membro, sendo que Vodder, trabalha de proximal para distal, primeiro as zonas próximas ao coração e vai afastando no sentido da extremidade, seguindo o fluxo linfático, e se tratando de Foldi inicia a drenagem na raiz do membro, criando um reservatório vazio, vazando os gânglios colaterais linfáticos via anastomose.
...Quanto aos aparatos linfopressores, ambos os autores os utilizam, sendo que Leduc, em edemas importantes utiliza a pressão antes da Drenagem Linfática manual e Foldi salienta os aparatos linfopressores seqüenciais, por simular o efeito de bomba, e indica primeiro drenar a área central com a Drenagem linfática manual, para não formar uma banda fibrótica constritiva e contra indica em casos de mastectomia radical, linfedema secundário e lesão de plexo braquial.
...Se tratando da especificidade de indicação inicial, Leduc direcionou mais para edemas, Vodder primeiro direcionou para edemas e após novos estudos e utilizou a compressão para fazer parte da gestão do linfedema, sendo que Foldi seu tratamento foi eleito para o tratamento do linfedema, devido à eficácia nos linfoedemas de extremidades, tendo redução de circunferência de 57 a 100%.

Portanto este trabalho teve a finalidade de fazer um estudo comparativo das três técnicas de Drenagem, e o que difere são pequenos detalhes, quanto o local de aplicação, tipo de movimento, um trabalha em ciclos, outro em fases, outro salientou as anastomoses. Numa linha geral, apresentam os mesmos princípios, seguem o sentido da drenagem fisiológica de retorno, suas técnicas vão sendo moldadas, mas permanecem semelhantes em suas linhas essenciais, sem altear suas bases.

http://www.poderdasmaos.com/site/?p=Estudo_Comparativo_das_T%E9cnicas_de_Drenagem_Linf%E1tica_Manual08746